“A Aquisição da linguagem é, provavelmente, o mais impressionante empreendimento que o ser humano realiza durante a infância.”

Novembro de 2015

O Desenvolvimento da Comunicação da Criança

Desenvolvimento Normal/Sinais de Alerta

Para a maioria das crianças, apreender a comunicar na língua materna é uma competência adquirida naturalmente de forma sequencial através da exposição a outros falantes.

O normal desenvolvimento da fala e da linguagem depende da capacidade da criança de ouvir, ver, compreender e recordar. Também é de realçar a importância da socialização e interação com os seus pares e do desenvolvimento das estruturas orofaciais.

A evolução da linguagem, tal como acontece com o desenvolvimento da criança noutras áreas, é um processo gradual e não é igual para todas – umas têm um ritmo mais lento, outras mais acelerado.

Marcos do Desenvolvimento:

  • 1/4 meses - O bebé consegue fixar o rosto do pai ou da mãe por longos períodos ficando cada vez mais interessado até esboçar um sorriso aberto. Balbucia, emitindo breves sons de contentamento; ri com intenção em resposta a estímulos que aprecia e chora em caso contrário.
  • 6/8 meses - Imita, tenta vocalizar com entoação, usa algumas consoantes: ma-ma, pa-pa, da-da, sem significado. Responde ao nome, grita para chamar a atenção dos adultos.
  • 9/12 meses - Começa a entender o “não”, usa palavras como mamã ou papá, palavras com significado.
  • 12 meses - Revela entender o que ouve. Compreende ordens simples. Pode utilizar a linguagem gestual para se expressar, aponta para o que quer. Muito poucas palavras serão perceptíveis - casualmente diz mais alguns monossílabos, tais como “dá”, “olá” ou “não”.
  • 15 meses - A criança ainda é muito “trapalhona” a falar, compreende tudo e faz-se entender por palavras/gestos, pode utilizar alguns substantivos isolados. Fala com entoação e ritmo, mesmo que imperceptível pelos adultos.
  • 18 meses - Utiliza várias palavras; identifica algumas partes do corpo.
  • 2 anos - Utiliza alguns verbos e adjectivos como “é bonito” ou “quero aquilo”. Compreende ordens complexas sendo capaz de cumprir 2 a 3 ordens em sequência. Começa a utilizar o “eu”. Ainda que a maioria das expressões que usa sejam imperceptíveis, a compreensão do discurso mostra que o desenvolvimento se está a processar.
  • 3 anos - Constrói frases mais elaboradas com 3 ou mais palavras. Entende os contrários – cima/baixo, dentro/fora, pequeno/grande. Consegue utilizar o plural e por vezes o feminino/masculino. Já sabe o nome e a idade. Começa a questionar-se sobre o “porquê” das coisas.
  • 4/5 anos - O discurso é mais elaborado, constrói frases mais elaboradas, expressa-se bem, utiliza os tempos verbais adequados. Pode revelar dificuldades num caso pontual no que se refere à articulação.

No entanto, existem alguns sinais que nos podem alertar para uma eventual perturbação da linguagem e do seu desenvolvimento.

Sinais de alerta:

  • Falta de reação ao som e à voz humana.
  • 8 meses: não palra ou vocaliza monotonamente.
  • 12 meses: não aponta; não diz nenhuma palavra.
  • 18 meses: não reage ao nome; não percebe “mamã”, “papá”, “adeus” e “não”; não utiliza palavras com significado.
  • 2 anos: não identifica partes do corpo, pessoas familiares e objetos; não cumpre ordens verbais; não junta duas palavras.
  • 3/4 anos: omite ou troca sílabas; não faz frases simples; dificuldade em fazer perguntas; em usar o “eu”; não tem interesse pelo outro e não interage.
  • 5 anos: alteração na articulação das palavras; faz frases com estrutura gramatical alterada; fuga ao tópico da conversa; dificuldades de evocação/nomeação e em descrever o seu dia-a-dia.

Ficou com alguma dúvida?

Identificou no seu filho algum destes sinais? Tire as suas dúvidas com os especialistas da NeuroAV!


Catarina Tavares Parente
Terapeuta da Fala da NeuroAV



Ver mais artigos

Início | Serviços | Profissionais | Mapa do Site | Preçário | Contactos


© 2017 NeuroAV. Todos os direitos reservados.


Designed and created by João Monteiro.